Pais Atentos
Como auxiliar os filhos nos estudos

Como auxiliar os filhos nos estudos

O hábito de estudo diário é uma postura de responsabilidade e autodisciplina essencial para o sucesso no processo de ensino-aprendizagem

Kátia Reis

O desenvolvimento dos filhos reserva aos pais desafios que nem sempre apresentam respostas fáceis de serem decifradas e em relação aos estudos, não é diferente.  Da Educação Infantil até o Ensino Fundamental I (1ª à 5ª), os alunos têm um professor como principal referência e geralmente apresentam bom desempenho. As atividades são desenvolvidas com menor esforço do aluno e “da família”.

No Fundamental II (6ª à 9ª), observamos um aumento do número de disciplinas e, consequentemente, de professores. Há uma adaptação em relação às metodologias. Os professores e alunos passam por uma fase de conhecimento, até que o vínculo seja estabelecido. Além disso, muitas vezes muda-se o turno das aulas e observamos alunos acordando muito cedo e dormindo muito tarde.

Nessa fase necessita ainda de um acompanhamento para a superação dessas etapas e o estabelecimento de uma rotina de estudos. A fase da pré-adolescência vem recheada de estímulos e novidades prestes a serem exploradas. Os hormônios estão em ebulição e a sexualidade pode mostrar-se aflorada.

No Ensino Médio, o estudante entra simultaneamente na adolescência. As reuniões com amigos, baladas, contatos pelas redes sociais se multiplicam. Há uma insegurança e inquietação em relação à escolha da profissão. Essa transição exige muita atenção por parte do aluno, da escola e da família.

A organização da rotina de estudos é um pré-requisito importante para o sucesso na vida acadêmica da criança e do adolescente. Seguem algumas orientações que podem contribuir para esse processo:

  • Estabeleça contato periódico (por agenda, telefone, reuniões, atividades) com a escola, a fim de assegurar-se de que tudo está caminhando como o esperado.
  • Participe das atividades da escola. O seu (sua) filho (a) vai sentir-se valorizado e amparado.
  • Acompanhe os comunicados/informativos da escola.
  • Acompanhe o site e Facebook da escola: são excelentes formas de manter-se atualizado em relação aos acontecimentos.
  • Organize, juntamente com o seu filho, uma escala com os horários da semana, desde o período que ele acorda até o momento de dormir. Estabeleça o horário de acordar, alimentação, descanso, estudo, lazer etc. Nesses horários deverá conter espaço para: realização das atividades de casa, leitura do conteúdo apresentado no dia, anotações das dúvidas observadas e organização dos livros/materiais para o dia seguinte.
  • As lições de casa deverão ser realizadas diariamente (no horário da rotina de estudos).
  • Os conteúdos do dia deverão ser lidos diariamente, a fim de serem fixados na memória de longo prazo.
  • Os livros e materiais devem ser preparados para o dia posterior, evitando assim o esquecimento.
  • O ambiente de estudo deve ser tranquilo, arejado e iluminado.
  • Para os estudos deverá ser colocado na mesa todo o material a ser usado.
  • Elimine os fatores externos que possam atrapalhar a concentração, como: telefone/celular, TV, computador e aparelho de som.
  • Acompanhe as atividades noturnas do seu filho, a fim de que seja preparado para uma boa noite de sono, ou seja, a partir das 20 horas priorize momentos de relaxamento e leitura.
  • Os exercícios físicos podem ser primordiais para a atenção, concentração, disciplina, interação com os colegas, habilidades motoras etc.

Na escola, sugere-se que o aluno tenha as seguintes posturas:

  • Esteja atento à explicação do (a) professor (a) e faça anotações diariamente.
  • Esclareça as dúvidas existentes e as que forem surgindo no decorrer da aula.
  • Acompanhe a correção dos deveres de casa, das atividades de sala e das provas, procurando detectar o que e por que ele teve dificuldade na resolução das questões.

O hábito de estudo diário é uma postura de responsabilidade e autodisciplina essencial para o sucesso no processo de ensino-aprendizagem.

Cabe salientar aos pais a importância de acompanhar e orientar as atividades do seu filho nessa fase, participando das reuniões de pais da escola, a fim de compreender o rendimento pedagógico e global. O desenvolvimento da criança e da adolescência tem um ganho significativo com a parceria entre: escola/família/aluno.