Trabalho e família, uma missão coletiva

Trabalho e família, uma missão coletiva

A família é a primeira e a melhor equipe em busca da felicidade e do equilíbrio

O debate sobre o impacto do nosso modelo de trabalho na vida das famílias é cada vez mais comum. O mundo avança a passos largos em proporcionar os mais variados tipos e formas de emprego. Basta olhar para o lado e ver que muito mais gente está trabalhando, e o dilema é um só: “Quanto tenho ‘roubado’ do tempo com minha família para investir no trabalho?” Você já deve ter se deparado com essa situação, mesmo sem tarefa ou pendência para resolver, teve problemas como o cansaço e o estresse, que o impediu de dedicar um tempo de qualidade ao cônjuge e filhos.

Imagino que você também tenha passado por momentos de longas explicações sobre o porquê não poder sair com todos para aquele passeio, ou por que não pode ver um filme com as crianças. E as questões não param por aí, pois acreditando que nossas conquistas profissionais são coletivas, assumimos que é preciso sacrificar um pouco aqui e ali para que no final todos sejam beneficiados em casa. E nessa receita incluímos a famosa divisão entre vida profissional e pessoal e até não falarmos sobre o que fazemos para quem vive conosco.

Por mais bem-sucedida que seja a sua busca pelo equilíbrio, é bem provável que sempre exista alguém suplicando por mais atenção. Alguns diriam que o sucesso no trabalho depende de uma família em “frangalhos”, triste, mas uma realidade cada vez mais aceita pelas pessoas. É preciso, antes de qualquer coisa, checar qual o papel do trabalho em nossas vidas. Se este for visto como um mero sacrifício que precisa ser enfrentado para garantir um pouco de alegria no fim de semana, é exatamente (e apenas isso) que ele será.

A família é a primeira e a melhor equipe em busca da felicidade e do equilíbrio. O trabalho de cada um é a forma como este grupo pode contribuir com as pessoas com quem interage. A consciência de que ele é uma missão da família e não um movimento fora dela fará toda a diferença. Entender que suas conquistas são coletivas é muito bom, mas sacrificar a participação da família nas decisões e rumos do seu trabalho é um desperdício não apenas de tempo, mas de vida.


Felicidade
Comportamento

Felicidade

Felicidade não é meta: é consequência. É a colheita das ações plantadas ao longo do tempo