Cuidados com o bebê: 25 perguntas e respostas

Cuidados com o bebê: 25 perguntas e respostas

Como sei se ele está com cólica ou fome? Tem diferença no tipo de choro?

1. Qual a maneira correta de limpar o umbigo do recém-nascido?

Umedeça um cotonete (ou algodão) com álcool a 70% (adquirido em farmácia) e passe na superfície do curativo pelo menos três vezes ao dia. Tenha o cuidado de limpar todo o entorno do umbigo para evitar infecções. Continue fazendo a limpeza até três dias após a queda do umbigo.

2. Como sei se ele está com cólica ou fome? Tem diferença no tipo de choro?

O choro causado pelo desconforto das cólicas intestinais é diferente do da fome. Mas fique tranquila, pois, com o tempo e a convivência, você aprende a distinguir cada chorinho: fome, frio, sono, calor, xixi, fralda apertada, dor, mimo e assim por diante. No caso da cólica, considere que é uma situação transitória, mais frequente no fim da tarde e à noite. Em geral, as queixas começam na segunda semana de vida do bebê e cessam no quarto mês. É um choro intenso e súbito, que deixa a criança irritada e agitada até três horas por dia. Além disso, diferentemente do que acontece na fome, dar o peito não resolve.

3. O que posso fazer para aliviar as cólicas?

As cólicas são o resultado de um processo natural do desenvolvimento gastrointestinal da criança e que dura de três a quatro meses. Portanto, procure manter a calma diante do choro do seu bebê. A ansiedade do adulto só faz piorar a situação. Ambiente tranquilo e música suave são sempre bem-vindos. Banho morno (em posição fetal) também. O mesmo se aplica a compressas mornas na barriguinha com toalhas felpudas passadas a ferro. Elas têm um efeito analgésico (mas teste antes o calor da toalha em sua própria face). Outra dica: movimente as pernas do bebê, fazendo-o pedalar no ar. Esse exercício pode ajudá-lo a eliminar o excesso de gases. Procure ainda massagear a barriguinha do bebê no sentido horário. Agora, o mais importante é ter paciência para acalmar o bebê, aconchegando-o no colo, barriga com barriga, ou apoiado de bruços na extensão do seu antebraço. E atenção: oferecer chás entre as mamadas pode prejudicar a amamentação, além de não resolver as cólicas. Já os remédios “contra gases” têm pouca eficácia.

4. É verdade que a minha alimentação pode influenciar nas cólicas do bebê?

Esse é um tema ainda controverso. Faltam mais estudos científicos, mas existem relatos de que alguns alimentos ingeridos pela mãe deixam os bebês mais agitados. É o caso de chocolate, refrigerantes, café, alguns tipos de chá e até mesmo o próprio leite de vaca. Soja, trigo e nozes presentes na dieta da mãe também são suspeitos de provocar cólicas nos bebês.

5. O que faço para ter mais leite?

O leite materno é produzido sob demanda. Quanto mais o bebê suga, mais você o produz. Em outras palavras, confie na sua capacidade de amamentar e tudo ficará bem. Agora, para tornar essa tarefa ainda mais tranquila, existem algumas dicas básicas. Procure oferecer o peito com frequência, sempre que o bebê quiser, de dia e de noite, a qualquer hora. Livre demanda. Certifique-se de que ele está bem acomodado no seu colo e pegando o bico da mama corretamente. As duas mamas devem ser esvaziadas a cada mamada, alternando a ordem de início (comece uma mamada com o peito que terminou a última). Beba mais líquido (pelo menos de oito a dez copos por dia) e repouse entre as mamadas. Fuja do estresse, que atrapalha, e muito, o afluxo de leite. Sessões de relaxamento com massagens no dorso das costas costumam aliviar as tensões. A divisão das tarefas tanto da casa quanto do bebê também. No caso de bebês prematuros, que não podem mamar, faça você a ordenha. Isso ajuda a manter a produção. E ainda dá para fazer doações a bancos de leite.

6. Meu bebê quer mamar o tempo todo. Isso é normal?

Normalíssimo. O bebê mama, em média, a cada três horas, ou seja, de oito a dez vezes por dia. Alguns, porém, podem encurtar esses intervalos, ficando entre 12 e 15 mamadas em menos de 24 horas. É a maneira que eles têm de estimular a produção de leite e ajustá-la à sua necessidade de crescimento. Daí a importância de dar o peito sempre que o bebê requisitar. Ele sabe o quanto precisa.

7. Qual a posição correta de colocar o recém-nascido para dormir: de lado, de bruços?

O ideal é deixá-lo de lado ou de barriga para cima. Nessas posições, eles correm menos riscos de se engasgar com leite ou se asfixiar no travesseiro. O uso de almofadas em forma de triângulos para escorá-los não tem contraindicação. Mas evite colchões muito macios, cobertores fofos e mantas grossas. Além disso, o ambiente deve ser arejado e as roupas da criança adequadas.

8. Toda vez que dou de mamar, preciso fazer o bebê arrotar?

É muito importante colocar o bebê para arrotar após cada mamada (fazendo isso, você previne que ele regurgite e, pior, engasgue com o leite). Mas isso não significa que ele vai, de fato, soltar os gases do estômago. Algumas vezes, o bebê simplesmente não arrota. Seja como for, mantenha o ritual do arroto, posicionando o pequeno junto ao ombro, na vertical, e dando tapinhas sutis em suas costas. Só assim você dará à criança a oportunidade de eliminar o ar que engoliu – que pode vir acompanhado de leite. Agora, se ele não arrotar entre 20 e 30 minutos, tudo bem. Por precaução, procure apenas colocá-lo no berço de barriguinha para cima com a cabeceira suspensa. Importante: bebês que mamam em mamadeiras merecem atenção redobrada no quesito arroto, uma vez que costumam engolir mais ar por causa das diferenças entre os bicos.

9. Qual o melhor momento para furar a orelha da minha filha?

Não existe um prazo preestabelecido. Alguns afirmam que o brinco já pode ser colocado logo que o bebê sai da maternidade.

10. Como faço para desentupir o nariz do bebê?

Limpe as narinas do bebê com soro fisiológico. Ele deve ser aplicado com um conta-gotas ou spray nasal. Inaladores e umidificadores também são bastante eficazes, principalmente se o ar estiver muito seco. E atenção: jamais tente introduzir cotonetes no nariz de um recém-nascido, pois os canais são estreitos e podem sofrer lesões. O mais indicado nesse caso são bombinhas manuais de sucção, aquelas que parecem uma pera.

11. Vou voltar a trabalhar, mas meu bebê só aceita mamar no peito. O que faço?

Salvo exceções, o bebê deve ser alimentado exclusivamente pelo leite da mãe até os 6 meses de idade. E o ideal é que ele mame diretamente no peito. Agora, se você precisa voltar ao trabalho antes disso, existem opções. A primeira delas é interromper seus afazeres para dar de mamar para a criança. Uma segunda alternativa é ordenhar o próprio leite e deixá-lo armazenado na geladeira antes de sair de casa (24 horas na geladeira ou 30 dias no congelador). Aqui é importante procurar a ajuda de profissionais de saúde para aprender a retirar o leite e oferecê-lo ao bebê pela técnica do copinho. A mamadeira pode fazer com que a criança largue o peito antes do tempo desejado. Por fim, para crianças acima de 6 meses, as papinhas podem e devem ser introduzidas.

12. Como sei que meu bebê tem refluxo?

O refluxo é mais comum entre bebês prematuros, mas também acomete os "nascidos a termo" (esse é o nome técnico). Vômitos após as mamadas (leite in natura), perda de peso, irritação, tosse e sono agitado durante a noite podem sugerir o refluxo. Se for esse o caso do seu filho, consulte o pediatra dele para confirmar o diagnóstico. Agora, se a criança dá apenas algumas golfadas porque mamou muito ou não arrotou direito, não se preocupe, pois isso é normal. Mesmo porque, a válvula que impede a volta do leite ainda é imatura.

13. Meu filho dorme bem durante o dia e passa a noite acordado e chorando. Como faço para mudar esse hábito?

Tenha paciência. Ele provavelmente adquiriu esse hábito porque se acostumou com a presença de alguém sempre por perto para acalmá-lo à noite. É importante que o bebê só mame quando tiver fome. Se a cada grunhido os pais se levantam, fazem barulho ou acendem luzes, a tendência é que a criança desperte mesmo. Pior ainda se oferecerem chazinho ou pegarem no colo. Tente deixar o pequeno choramingar um pouco – às vezes, o sono logo volta. Porém, se seu filho trocou os horários de vez, é preciso fazê-lo entender que existe dia e noite. Pelas manhãs e à tarde, deixe janelas abertas para o sol entrar e o ar circular, sobretudo durante o sono. Nesses períodos, desperte a criança para que ela mame a cada três horas e faça com que fique acordada por algum tempo. No horário noturno, apague luzes, explique brandamente que chegou a hora do sono e resista à tentação de se levantar a cada 15 minutos só porque o bebê emitiu algum som. E tenha calma para tirar a mamada da madrugada. Faça isso aos poucos.

14. Com quantos meses posso colocar meu bebê na piscina?

Por prudência, espere pelo menos até o terceiro mês de vida, quando o bebê já terá completado o primeiro ciclo de vacinação. Mas inspecione as condições da piscina. O ideal é que o tratamento da água seja feito à base de sal e não de cloro – que pode ser prejudicial para a pele da criança em dosagens erradas. Observe também a limpeza tanto da água quanto de bordas e demais superfícies. E verifique se a temperatura é confortável, entre 30 e 32 graus. O pH da água é outro item a ser considerado. Ele deve girar em torno de 7,2 para evitar que os olhos do bebê ardam durante os mergulhos. Por fim, tome cuidado com correntes de ar frio ao retirar o bebê da piscina. Agasalhe-o logo, protegendo principalmente ouvidos, peito, costas e cabeça.

15. Eu e meu marido nos separamos. Isso pode prejudicar de alguma forma nosso bebê?

É claro que o bebê sente. Toda separação gera estresse, e a instabilidade emocional do casal afeta a criança. Mas se o filho se sentir amparado nesse processo, os danos costumam ser mais amenos, principalmente ao se comparar aos prejuízos causados por um casamento sem futuro mantido somente por causa dele. Portanto, o mais importante é que o bebê se sinta amado de forma incondicional pelo pai e pela mãe, se estiverem juntos ou separados.

16. Quando posso levar o recém-nascido para passear na rua?

Use o bom senso. Não existe regra. O ideal é deixar o recém-nascido dentro de casa, protegido de doenças. Ele pode tomar seu banho de sol no quintal, na varanda, na garagem ou mesmo no quarto de janela aberta. Depois do primeiro mês, aí sim, já dá para pensar em levá-lo para um passeio curto na rua. O mais importante aqui é evitar aglomerações, ambientes fechados, sol forte e friagem, principalmente até o terceiro mês. Ou seja, até as doses das primeiras vacinas estarem completas, nada  de   gente   em   volta   do   carrinho, vento frio ou calor excessivo. Shopping center, então, nem pensar.

17. Bebês prematuros têm desenvolvimento diferente? É preciso cuidar deles de modo especial?

Ele só dorme no colo porque se acostumou a isso. É uma questão de educação. Para mudar o hábito, os pais têm de se policiar também. Comece tentando colocá-lo no berço sem se afastar, até que ele adormeça. Se despertar antes da hora, procure acalmá-lo apenas com a sua presença, sem pegá-lo no colo, até que volte a dormir. Objetos de transição, que lembrem o cheiro da mãe, como um cobertorzinho, também podem ser colocados perto dele. Mas lembre-se de que será preciso muita paciência, firmeza e ternura para reverter o quadro. Procure não se estressar.

18. Como faço para o bebê parar de soluçar?
O melhor método é colocá-lo para arrotar. Isso mesmo. Diferentemente do que pensam muitas mães, o soluço não tem a ver com frio ou umidade. Em geral, ele acontece após as mamadas, justamente quando o bebê está com o estômago cheio. O leite materno e os gases causam o soluço.

19. Meu filho tem 6 meses e só dorme no colo. O que devo fazer para ele dormir sozinho?
Ele só dorme no colo porque se acostumou a isso. É uma questão de educação. Para mudar o hábito, os pais têm de se policiar também. Comece tentando colocá-lo no berço sem se afastar, até que ele adormeça. Se despertar antes da hora, procure acalmá-lo apenas com a sua presença, sem pegá-lo no colo, até que volte a dormir. Objetos de transição, que lembrem o cheiro da mãe, como um cobertorzinho, também podem ser colocados perto dele. Mas lembre-se de que será preciso muita paciência, firmeza e ternura para reverter o quadro. Procure não se estressar.

20. Como sei que meu filho é alérgico à lactose? Quais são os sintomas?

Os sintomas geralmente são aumento do volume abdominal (distensão), cólicas, vômitos e diarreia, que podem se traduzir em dificuldade no ganho de peso. Mas é importante a consulta ao pediatra para realizar o diagnóstico correto, uma vez que os procedimentos variam conforme a situação. Além disso, há dois casos distintos com sintomas semelhantes que devem ser diferenciados: intolerância à lactose e alergia à proteína do leite de vaca.

21. É normal o bebê suar quando mama?

Sim, a transpiração pode acontecer em razão tanto do esforço que o bebê faz ao mamar como também do calor provocado pelo contato com o corpo da mãe. Por isso, procure locais arejados e frescos para amamentar seu filho.

22. Os bebês podem viajar de avião?

Sim, sem problema. Procure apenas hidratá-lo bastante durante o voo. Isso é importante por causa da pressurização, que reduz a umidade do ar. Dê água ou leite para os mais velhos e o peito para os que ainda mamam.

23. Bebês podem se relacionar com animais domésticos, como cachorros e gatos?

Podem, sim. Tomando os cuidados básicos, não há problema em deixar animais domésticos nos mesmos ambientes que os bebês. Acredita-se, inclusive, que a presença deles possa contribuir para o desenvolvimento do sistema imunológico dos pequenos. Agora, é preciso usar o bom senso. Faça uma adequada higienização tanto dos locais por onde circulam cães e gatos como dos próprios animais. Vaciná-los é outra medida obrigatória. Importante: nunca deixe o animal sozinho com o bebê, mesmo que ele pareça inofensivo. Por ciúme, curiosidade ou outro motivo, ele pode machucar a criança.

24. Devo ferver as mamadeiras diariamente, mesmo para bebês com mais de 6 meses?

Após o sexto mês, não há a necessidade desse tipo de cuidado. O que não significa deixar de higienizar mamadeiras. Procure limpá-las muito bem, principalmente os bicos, que devem ser desconectados da rosca a cada lavada para a retirada de resíduos acumulados. Esse procedimento é uma importante medida na prevenção de infecções gastrointestinais.

25. Preciso higienizar a banheira antes do banho?

De preferência, sim. Os bebês se sentam ali e ficam expostos a todo tipo de infecção, principalmente as meninas. Por isso, higienize a banheira com água e sabão neutro antes de cada banho.


Felicidade
Comportamento

Felicidade

Felicidade não é meta: é consequência. É a colheita das ações plantadas ao longo do tempo