Dificuldades da adolescência: enfrentando crises

Dificuldades da adolescência: enfrentando crises

É na adolescência que o jovem constrói sua identidade e os desafios são vistos como provas que ele precisa superar para demonstrar para os outros e para si que é um vencedor.

A adolescência é uma fase de transição entre a vida infantil e adulta. Nesse período, o jovem constrói sua identidade e os desafios são vistos como provas que ele precisa superar para demonstrar para os outros e para si que é um vencedor.

Ser popular no colégio, arrumar um namorado ou namorada e entrar na faculdade são situações vistas pelos jovens como provas que separam os vencedores dos perdedores. E o medo de fracassar em alguma delas é uma fonte de angústias e de sofrimento.

Após levar um fora de uma garota, o rapaz não vai à escola, anda mentindo, começou a beber e a brigar. “Essa reação é normal quando o jovem passa por desilusões e só deve causar preocupação quando se estender por muito tempo”, diz a psicoterapeuta especializada em adolescentes Gisela Castanho, de São Paulo.

Mas como orientar seu filho para que o período de crise não se prolongue demais? Confira as dicas dos especialistas para lidar com as angústias mais comuns dos adolescentes.

  1. Ele não consegue arrumar um emprego: Para a terapeuta familiar Ceneide Oliveira, de São Paulo, os pais não devem pressionar o filho nem fingir que o problema não existe. Pergunte sobre as tentativas que ele tem feito, demonstre que está confiante que ele conseguirá um trabalho logo, mas não recaia nas cobranças e acusações. Valorize qualquer oportunidade que surgir para ele.
  2. Ele não é popular na escola: Alguns adolescentes, por serem mais tímidos, têm dificuldade para se integrar na escola. Se o seu filho tende a se isolar, incentive-o a fazer esportes coletivos ou atividades que o motivem, como aprender música. Dessa forma, fica mais fácil para ele descobrir pessoas com interesses comuns e aumentar suas chances de fazer amigos.
  3. Ele levou um fora: A rejeição amorosa faz parte da vida e, mesmo que seu filho encare o problema como se fosse o fim do mundo, esse é um importante aprendizado. Quando ele passar por isso, seja solidário. “Ainda que seu filho só procure os amigos, só de saber que os pais estão do lado, ele já se sentirá melhor”, explica Gisela Castanho. Não subestime a dor do adolescente, dizendo a ele que há problemas muito piores. Caso seu filho abra espaço, comente sobre suas próprias desilusões amorosas. Isso o ajudará a perceber que todo mundo passa por isso.
  4. Ele arruma brigas na rua: Na adolescência, a inundação de hormônios deixa o jovem mais agressivo. Brigar uma ou outra vez é comum. Mas algumas brigas de turmas podem requerer a intervenção dos pais. Para que seu filho extravase a energia, matricule-o em esportes como caratê e judô, que ensinam a administrar a força.
  5. Ele eeclama que não tem liberdade: Numa fase em que estão se tornando adultos, os adolescentes passam a questionar a autoridade dos pais: criticam as proibições e reclamam que eles só sabem dizer não. Avalie se o pedido de seu filho é justo e se é hora de ser um pouco mais liberal. Mas, se a proibição é necessária, não se sinta pressionado e prepare-se: adolescentes contrariados batem a porta, chamam os pais de chatos e gritam. Tenha paciência e lembre-se de que você está visando ao bem-estar do seu filho.
  6. Ele sente a falta dos pais: É impossível preencher completamente a ausência materna ou paterna. A presença ativa dos pais é fundamental para o desenvolvimento saudável do adolescente, que precisa de carinho, atenção e disciplina. Em alguns casos, quando a mãe ou o pai não estão presentes, a família deve dar suporte, criando relações de confiança entre, por exemplo, o jovem, seus tios, primos e avós.
  7. Ele não consegue entrar na faculdade: Essa prova tem impacto na vida social do seu filho e na forma como ele acha que será visto pela turma. Afinal, muitos colegas vão entrar na faculdade enquanto ele sente que ficou para trás. Nessa hora, lembre ao jovem de que a melhor forma de reagir é continuar se preparando, sem perder o foco. Ajude-o e evite as cobranças que só aumentam a ansiedade.
  8. Ele se sente fracassado: Os jovens vivem as decepções com muita intensidade. Nesses momentos, seu filho precisa de alguém para escutá-lo. Ouça-o e incentive-o a dar a volta por cima. Ao superar o sentimento de fracasso, o jovem fortalece a autoconfiança e se prepara para as situações difíceis que poderá enfrentar no futuro.
  9. Os pais não aceitam seus amigos: Em busca de identidade, muitos adolescentes transitam por turmas de diferentes características, o que pode gerar desconfiança e crítica por parte dos pais. Com razão, seu filho questionará se você não está julgando os amigos dele só pela aparência. Avalie também se a sua implicância não é ciúme ou temor de perder espaço na vida de seu filho. Evite os julgamentos precipitados e aproxime-se dos novos amigos. Assim, você observa as más companhias de verdade.
  10. Ele não aceita o padrasto ou madrasta: Vários conflitos podem surgir quando um dos pais resolve se casar novamente. A presença de um padrasto ou madrasta pode fazer com que o filho se sinta ameaçado. Para o psiquiatra Içami Tiba, os pais não devem permitir que os filhos abusem ou maltratem o companheiro. Só assim eles vão reconhecer no padrasto ou na madrasta uma nova autoridade.
  11. Ele está infeliz com o corpo: As mudanças no corpo, típicas dessa fase, deixam o jovem com a autoestima lá embaixo. Lembre seu filho de suas qualidades e conversem sobre quanto dessa insatisfação é exagero.
  12. Ele não aceita sua situação financeira: Muitos jovens têm vergonha de não ter dinheiro para comprar roupas de grife ou fazer os passeios da moda. Isso os deixa frustrados e os culpados por essa situação passam a ser os pais. Não tente dar ao seu filho mais do que pode e ensine-o, desde pequeno, a poupar e a lutar para realizar seus desejos.
  13. Ele está sofrendo com comentários dos colegas: Os adolescentes sabem ser implacáveis. Por isso, explique ao seu filho a importância de zelar pela própria imagem, encontrando a medida certa entre a libertade e a discrição. Ele não precisa deixar de fazer o que tem vontade, desde que saiba preservar sua intimidade.
  14. Ele sente ciúme dos irmãos: O ciúme entre irmãos reflete a dificuldade de o jovem aceitar que os pais não tratam os filhos por igual. Para evitar a competição, explique que eles têm necessidades diferentes e fuja das comparações. “Os pais facilitam muito o convívio entre irmãos quando resistem à tentação de compará-los. Na comparação, um sempre sai perdendo”, diz Içami Tiba.
  15. Ele está inseguro consigo mesmo: É comum os jovens estarem inseguros nesta fase, com dúvidas sobre sua própria imagem e comportamento. Um jeito de reverter esse quadro é mostrar para seu filho o quanto é importante ele aceitar a si mesmo como um indivíduo único e especial. Incentive a busca por atividades que tragam felicidade e mostre o quanto é saudável aceitar um estilo próprio de viver.
  16. Ele não tem uma turma: A partir dos 11 anos, ser aceito e admirado pelo grupo tem uma importância acima do normal para o jovem. Se ele anda inseguro, estimule-o a desenvolver suas habilidades no esporte, dança ou teatro. Isso vai aumentar sua autoestima e o ajudará a fazer parte de uma turma.
  17. Depressão na juventude: A intensidade com que o adolescente vivencia cada problema e as mudanças físicas e psicológicas dessa fase podem gerar uma carga excessiva de estresse. Para a psicoterapeuta Gisela Castanho, sintomas como tristeza, desânimo, ansiedade e isolamento não devem ser encarados apenas como “coisas da idade”. “Eles podem indicar que o seu filho está em depressão. E, para ajudá-lo, o melhor é procurar orientação médica.”