Like lovers 

Like lovers 

Pensar divergente nunca foi muito fácil. Exige conhecimento, consome energia, gera dúvidas

Mara Lucia Madureira

 

Na aldeia global, mundo interconectado e repleto de oportunidades, grande parte da humanidade escolheu se plantar diante das telas digitais e se deslumbrar com anúncios, lives, posts e a própria imagem.

Muitos desistiram de pensar, desejar e escolher. A incerteza sobre a própria capacidade decisória os levou a terceirizar seus gostos, vontades e sonhos. Passaram a gostar do que “definidores de tendências” consideram adequado para a massa, desejar só aquilo que influencers desejam que desejem, deixaram de criar para imitar, repetir obviedades.

 

A renúncia de si parece libertadora. Isenta do compromisso com a verdade pessoal em favor da verdade de outro, remove o sacrifício de aprender, divergir, poupa o esforço da criação. Em vez de inspirar-se em quem admira, torna-se um arremedo de figuras de sucesso, pois imitar parece mais seguro. O conformismo e a obviedade ampliam as chances de ser mais um, no mix do “mais do mesmo.” O paradoxo é viver de cópias em tempos de inovação. Não importa se é patético, insustentável, se envolve talento ou conhecimento, tem de ser impactante, causar comoção, ainda que seja mentira. É preferível fakenews comoventes a verdades frustrantes. Ai de quem questionar...

 

Pensar divergente nunca foi muito fácil. Exige conhecimento, consome energia, gera dúvidas, conflitos, derruba estruturas. Não comungar do credo dominante pode representar retaliações, significar a oportunidade de voltar a si. Voltar a quem, quando já não se sabe mais quem é? Parece mais simples ser o coletivo de alguém a ser alguém no coletivo. A massa não é ninguém. É a representação de muitos como uma só coisa. É a padronização da consciência, a industrialização de vidas, a humanidade sobre linhas de montagem.

 

A conectividade tem muito mais a oferecer do que janelas narcísicas para selfies, vitrines de venda massificada, distribuição gratuita de bobagens, coleta e rastreamento de dados. Apesar do olho que tudo vê registrar cada passo de seu rastro digital e tudo saber a respeito de todos, é possível aproveitar a abertura do portal da conexão para buscar e oferecer algo que realmente faça a diferença.